Custo X Benefício


Cada vez mais, somos disputados pelas empresas, grandes conglomerados internacionais ou pequenas empresas nacionais. Graças à globalização, que limitou as distâncias territoriais e fez-nos ter acesso a produtos, que antes, obteríamos somente por caros processos de importação.

Neste relato, vamos colocar para vocês que a questão "custo x benefício" não é mais um bom indicativo para adquirir de produtos duráveis.

Apresento para vocês os produtos que nos levaram a este relato.

1º Mini Grill Cadense.

Pagamos em torno de R$50,00. Bem mais em conta que os demais produtos similares, que na questão "custo x benefício" seria perfeito, pois o utilizaríamos apenas para fazer torradas, usaríamos como sanduicheira.

O que acontece é que estamos indo para a quarta troca do produto. SIM! Será trocado pela 4ª vez. Sendo que na terceira vez, em menos de uma semana de uso, começou a apresentar o mesmo problema:

- Ao esquentar, o aparelho começa a apresentar bolhas de ar, entre a camada de tinta e o aço. Reparem que o utilizamos apenas para pão e não como a função Grill - que seria usado com carnes, ficando muito mais tempo em funcionamento, esquentando o produto muito mais e gerando, desta forma, um número maior de bolhas na sua superfície.
Da última vez que foi para a análise, na assistência técnica autorizada -pois está dentro da garantia- levou mais de 1 mês, para sua devolução, optando, a Cadense, por nos ofertar um aparelho novo.
Bom, podem ver, que a bolha chegou a estourar, devido ao gás criado entre as camadas quando aquecido. Com direito a barulho e tudo - poff.

2º Celular Iphone® da Apple, adquirido pela Vivo.

iPhone 3G 16GB

Bom, não sei qual saga é a pior, porque vamos para o terceiro aparelho, que apresentou problemas desde o primeiro. Porém, o que ocorre neste caso é o vai e vem que o serviço de atendimento ao cliente tem nos feito fazer, e parece que em vão.

Com o iPhone o preço já não foi tão barato. Com um custo muito alto e os benefício ficando bem para trás! O aparelho apresentou, na primeira reclamação, problemas com a durabilidade a bateria e aquecimento acima do normal, nos momentos em que ele não estava sendo usado, o que fazia que a carga da bateria fosse rapidamente consumida; na segunda troca o problema foi no fone de ouvidos, mais especificamente no comando que existe no fio para ligar/desligar a função iPod, e atender/desligar uma ligação; agora, estamos receosos com o novo, que também já apresenta um comportamento anormal para carregar a bateria via computador.

Entretanto, o que está sendo questionado é o atendimento recebido pela operadora Vivo, representada pela loja na qual o aparelho foi adquirido. Tudo foi um casamento perfeito – a compra, os sorrisos do pessoal da loja e tudo aquilo que bem conhecemos quando estamos comprando algo caro –, até a primeira reclamação. Posso dizer que essa receptividade não foi nem de perto a mesma quando chegamos na loja para fazer a primeira reclamação.

Foi uma dificuldade tremenda conseguir que nos trocassem o telefone. Informações divergentes entre a central de atendimento e os procedimentos exigidos pela loja, caras pouco amigáveis e olhares desconfiados, e duas longas semanas até a troca. Na segunda troca, repetição dos eventos da primeira, um pouco mais demorada e com o agravante de uma promessa não cumprida pela operadora.


O que vale para estas organizações? Uma única venda, onde o que interessa é vender o primeiro produto e depois never more?
Onde fica a importância da fidelização do cliente?
A nossa opção é pular de galho em galho? De empresa para empresa? E quando não tivermos mais nenhuma opção, retornamos à primeira ou ficamos sem consumir – o que não seria de todo mal.
Mas, sabemos da importância do consumo consciente para o giro da economia e manutenção dos empregos. Mas sinceramente, estamos sem rumo, sem norte, sem saber mais a quem recorrer.

Pelas palavras da Gerente da Vivo, só poderemos ter nossos direitos e desejos de consumidores atendidos se procurarmos a justiça, porque, por eles, isso não acontecerá. E nós que somos clientes da marca a mais de 10 anos, parece que isso é indiferente para estas organizações.

9 comentários:

Estúdio de Design disse...

Carol
Que caos... e eu reclamando da compra da minha máquina de costuras (tive que cancelar e recomprar!).
Sobre o grill não sei, mas meu cunhado teve um problema co Iphone e também não conseguiu resolver. tá com um destes telefones promocionais até hoje... rs.
Por isso não comprei! Fui pra Miami, pensei em comprar e desisti!

Beijinhos!
Lele

Ana Pretti disse...

FAlou que é reclamação amiga, o atendimento muda meeesmo, é incrivel, seria tudo tão mais fácil se houvesse boa vontade por parte de todos... Mas infelizmente nem sempre (qse nunca) é assim.

Luziane Brock disse...

Meu marido quer por que quer um iphone destes... na verdade nós compramos muita coisa de Mac inclusive nosso computador é Mac e até hoje nao tivemos problemas, mas nunca se sabe....
Eu trabalhei com vendas no Brasil muito tempo e até hoje nao sei também pq fazem tanto problema para trocar um produto, eu era da opiniao que cliente feliz é cliente que volta... ta certo que o vendedor pode gastar uma tarde inteira tentando trocar um produto, o que resulta ruim pq ele nao vai vender nada pq esta trocando o produto, e como no Brasil quase todas as lojas funciona com comisao ele perde dinheiro e venda no fim do mes prejudicando o "desempenho" e assim sendo cobrado por nao ter feito bem seu trabalho (em geral ai minimo de venda por mes) e ai que morremos nós consumidores e temos que suportar caras feias por causa de uma troca... mais ou menos isso =P

Nani Veiga disse...

Nossa,isso que é descaso pelo consumidor,é horrível passar por isso...
Fique tranquila e insista...
Beijos
Nani

Carol disse...

Oi! Primeiramente vim agradecer o comentário e a visita no meu blog.
Ganhei um iphone e ainda estou apanhando pra colocar músicas, essas coisas, não aprendi, mas acho que a bateria dele dura pouco, no máximo estourando 36 horas.
Sobre a Vivo também tenho a dizer que acho eles deixam muita a desejar, não mudei de operadora porque estaria só mudando de problema, as operadoras não estão investindo em manter o cliente satisfeito, há sempre reclamações que nem precisavam existir, bastava treinamento e tato. Fazer o quê?

Serei sua seguidora.
Beijos

Paulinha e Fabiano disse...

É um absurdo dizer isso, mas em se tratando de atendimento pós-venda, eu digo: Nada mais "comum"!!!
É um absurdo como as lojas, os call-centers e afins nos tratam frente à esses problemas! Parece que estamos sendo incovenientes de estar lá reclamando; eles nos tratam como se estivéssemos lá pra tomar seu tempo... É lamentável! Em pouquíssimos casos, fui bem atendida.
E eu concordo com vc: O q eles pensam? Que comprar um produto alguma vez e nunca mais é ter lucro!!! Perder um único cliente é um prejuízo incalculável para empresas sérias, de confiança!
Apoio suas reclamações!
Bjos
Paulinha
Reformando Nosso Apê

Verônica Cobas disse...

Primeira visita que te faço e já ganho um olhar que me fará pensar duas vezes antes de adquirir o IPhone. Estava em dúvidas e diante de sua saga, já não as tenho mais. Blog também é utilidade pública. bjs. Veronica

Susi disse...

Um absurdo tudo isso, fico indignada com o desrespeito pelo consumidor..

Cynthia Saccoman disse...

Realmente o serviço de atendimento ao consumidor da Vivo é péssimo, fomos clientes por vários anos e passamos alguns apuros também.
Quanto ao iphone eu e meu marido temos e nunca deu nenhum tipo de problema dos que você citou. (Ainda bem).
Quanto à bateria, ela realmente não dura mto, pq se você cadastrar seu email por exemplo, ele fica chegando de 15 em 15 minutos e isso consome mais bateria não tem como. Sem contar o uso da internet que é outra coisa que faz consumir muito mais rápido. Por isso fique atenta.
Beijinhos

Postar um comentário

O que você achou?