Nem tudo são flores




A importância do consumo consciente – Reduzir, Reutilizar, Reciclar, Repensar e Recusar


“Alguns números, levantados por Penna (1999), ajudam a clarear as questões referentes ao crescimento populacional. Em 1994, habitavam o planeta 5,5 bilhões de humanos, dos quais 78% ou 4,3 bilhões viviam em países em desenvolvimento. Estima-se que, 2005, esses países abrigarão 84% da população mundial e, entre os países ricos, os Estados Unidos serão responsáveis pela maior parte do aumento populacional. Na América Latina, no final do século XX, 77% da população vivia em cidades, assim como na África, 41% e na Ásia, 37%. Mantidas as atuais tendências, acredita-se em uma população de 10 bilhoes de pessoas na metade do século XXI. O autor questiona, então, se o mundo pode sustentar uma população desse tamanho sem causar danos irreversíveis ao meio ambiente e sem comprometer o futuro das gerações seguintes. A resposta possivelmente é “não”. Até porque a sobrevivência de uma população não está ligada apenas à disponibilidade de alimentos, supondo-se que isso não seja um problema. Está ligada também ao que o autor chama de “espaço vital” e já atualmente existe uma grande quantidade de pessoas que carece de água potável, moradia, educação, assistência médica e empregos. E, historicamente, elevados índices de reprodução humana estão correlacionados à miséria, às altas taxas de mortalidade infantil, às baixas condições sociais e educacionais da mulher, às deficiências nos serviços de assistência à reprodução e à baixa disponibilidade e aceitação de contraceptivos. Gera-se, assim, um círculo viciosos em que mais pobreza e menos acesso à informação e métodos de controle geram um crescimento mais acelerado da população e causam o aumento da degradação ambiental. A maio parte dos governos tem tentado combatê-lo apenas com o crescimento da economia”.
*Trecho de livro de Joelma Kremer

Porém, este crescimento está diretamente associado ao consumo, e não vamos nos iludir com a onda do “marketing verde”, ou produto “social e ecologicamente correto”, pois isso é utopia, o que devemos mesmo é diminuir com o consumo deliberado.


Não é porque estamos vivendo momentos felizes, de realização de sonhos, que podemos nos fechar dentro de nosso lindo lar e não querer ver o que está a nossa volta: nosso Lar: nosso planeta.

Visto que consumimos, e muito, podemos pelo menos amenizar os impactos de nossos resíduos no meio ambiente, com pequenas atitudes, mas que fazem uma grande diferença.
Já faz alguns anos que, aqui em casa, separamos devidamente nossos resíduos, e não é porque nossos vizinhos não o fazem que nos desmotivamos, muito pelo contrário, em Garopaba, tínhamos até uma composteira, nosso “lixo” limitava-se ao do banheiro. Já virou um hábito.

Cuidemos, então, do descarte de nosso material reciclável, em casa, como, por exemplo: Lavando, secando e separando.

Não adinta, apenas separar, pois os restos de alimentos que apodrecem no interior da embalagem plástica acaba por contaminar a matéria-prima, limitando sua reciclagem, desta forma, matéria-prima de excelente qualidade acaba virando lixo.



Não coloque o rolinho de papel, embalagem de sabonete, tubo de pasta de dente misturados ao lixo do banheiro, eles estão limpos e podem (e devem) ser reciclados.

Lavamos tudo e separamos dos rótulos. Aqui, um saquinho de patê, pronto para a reciclagem.

Facilita bastante se a embalagem for aberta, para poder lavar por dentro. Embalagem do chocolatinho do lanche: é lavada e vai para área de serviço para secar.

Lacre da margarina. Nada vai para o recipiente de material de reciclagem sem, antes de separar, estar lavado e seco.

A embalagem do pernil: almoço do domingo. Esse processo já foi incorporado no dia-a-dia: lavamos tudo junto com a louça.

Limpinho e secando...

3 comentários:

Susi disse...

post completo concordo com td.
bjs e boa semana

Paulinha disse...

É, lá no apê vai ser regra: "É reciclável? Lixinho colorido!!!"
Antes, aqui em casa, eu tinha um pouquinho de preguiça... Mas depois acostuma, e fica com a consciência tranqüila de estar fazenda a sua parte!!!
Beijos!
Paulinha
(Reformando Nosso Apê)

Cynthia Saccoman disse...

Obrigada pela visitinha!
Seja bem-vinda!!
Já conheci seu blog todinho...heheh e adorei...já vou virar sua seguidora.
Faço o mesmo que você para a reciclagem, lavo e separo tudo.
Ahh...aqui em casa quem é louca por frango sou eu....heheh

Postar um comentário

O que você achou?