Cuidado com os Corantes na alimentação! Texto grande, mas MUITO importante.



Saiba que corantes você consome e os efeitos que podem ter sobre sua saúde!

Os corantes são substâncias ou mistura de substâncias manipuladas para dar ou até mesmo intensificar a coloração de alimentos e bebidas. Entre os tipos de corantes está o orgânico sintético artificial, muito comum em alimentos que consumimos todos os dias. Na hora de comprar um produto, você pode conferir na embalagem se ele foi colorido artificialmente.
Nós listamos alguns corantes obtidos por síntese química e em que alimentos eles costumam ser encontrados, além dos efeitos que podem ter sobre a sua saúde:- Amarelo Crepúsculo: Sintetizado a partir da tinta do alcatrão de carvão e tintas azóicas. Usado em cereais, balas, caramelos, coberturas, xaropes, laticínios, gomas de mascar. A tinta azóica, causa alergia, produzindo urticária, angioedema e problemas gástricos.- Azul Brilhante: Sintetizado a partir da tinta do alcatrão de carvão. Usado em Laticínios, balas, cereais, queijos, recheios, gelatinas, licores, refrescos. Pode causar hiperatividade em crianças, eczema e asma.- Amaranto ou Vermelho Bordeaux: Sintetizado a partir do alcatrão de carvão Usado em cereais, balas, laticínios, geléias, gelados, recheios, xaropes, preparados líquidos. Esse corante já causou polêmica sobre sua toxicidade em animais de laboratório, sendo proibido em vários países.- Vermelho Eritrosina: Tinta do alcatrão de carvão Usado em pós para gelatinas, laticínios, refrescos, geléias. Consumo excessivo pode causar aumento de hormônio tireoidano no sangue em níveis para ocasionar hipertireoidismo.- Indigotina (azul escuro): Tinta do alcatrão de carvão. Usado em goma de mascar, iogurte, balas, caramelos, pós para refrescos artificiais.Pode causar náuseas, vômitos, hipertensão e ocasionalmente alergia, com prurido e problemas respiratórios.- Vermelho Ponceau 4R: Tinta do alcatrão de carvão. Usado em frutas em caldas, laticínios, xaropes de bebidas, balas, cereais, refrescos e refrigerantes, sobremesas. Deve ser evitado por sensíveis à aspirina e asmáticos. Podem causar anemia e aumento da incidência de glomerulonefrite.- Amarelo Tartrazina: Tinta do alcatrão de carvão Usado em laticínios, licores, fermentados, produtos de cereais, frutas, iogurtes. Recentemente tem-se sugerido que a tartrazina em preparados de frutas causa insônia em crianças. Há relatos de casos de afecção da flora gastrointestinal.- Vermelho 40: Sintetizado quimicamente. Usado em alimentos à base de cereais, balas, laticínios, recheios, sobremesas, xaropes para refrescos, refrigerantes, geléias. Pode causar hiperatividade em crianças, eczema e dificuldades respiratórias.2) Naturais - Provenientes de animais e plantas, não toleram altas temperaturas sem perder a tonalidade. Exemplos: Carotenóides, curcumina e urucum.
Fonte: USP e Anvisa



Gelatina é gostosa faz bem a saúde, tem pouca caloria e é barata, o único se não é a utilização dos corantes. As gelatinas de origem vegetal são mais aconselhadas.
A gelatina de caixinha, encontrada nos supermercados é composta de corantes, colágeno e açúcar.
Os corantes utilizados na indústria alimentícia do Brasil, já foram banidos em diversos países da União Européia e nos EUA.
O amarelo tartrazina foi banido na Áustria, Filândia e Noruega. O amarelo crepúsculo foi banido na Noruega e na Filândia. O azul brilhante foi banido na Alemanha, Áustria, Bélgica, França, Noruega, Suécia e Suíça. O bordeaux S ou vermelho S ou amaranto foi banido na Áustria, EUA, Noruega e Rússia. O azul idigotina foi banido na Noruega. O ponceau 4R foi banido nos EUA e na Filândia.
O colágeno é uma proteína animal sólida, não solúvel, encontrada no couro, nos ossos e nas cartilagens dos animais, como o boi e o porco. Em sua forma mais pura é indicado para fortalecer pele, unhas, cabelo e pela manutenção dos músculos.
Voltando aos corantes, para estes sim, é preciso uma política um pouco mais rígida no Brasil.
Para piorar as coisas, uma resolução do MERCOSUL, para padronizar os tipos de corantes utilizados entre países do bloco, está levando ao aumento do número de corantes permitidos em cada país, inclusive no Brasil.
Corantes causam intolerâncias alimentares em quem já possui quadro alérgico, principalmente crianças menores de 5 anos, mas não é aconselhável combinar no mesmo dia alimentos e bebidas que tenham corantes, segundo a alergologista Ariana Campos Yang do HC de São Paulo.
Estudos também indicam a correlação de corantes com hiperatividade das crianças.
Não há consenso nesta correlação, mas por via das dúvidas é melhor não ingerir em grande quantidade.
Os corantes, presentes não só em gelatinas, mas em muitos alimentos, bebidas e até em remédios estão associados a quadros alérgicos muito severos, é preciso atenção na ingestão. A reação pode ser uma simples urticária, mas pode acontecer um quadro de anafilaxia…
Os limites máximos do uso de corantes nos alimentos, encontra-se na resolução RE388/99 da ANVISA. Já o nível de ingestão diária aceitável de cada corante artificial ou natural, é definido por um comitê científico internacional de especialistas da agência de alimentos e agricultura da Organização das Nações Unidas e da Organização Mundial de Saúde.
A ingestão diária recomendável pode facilmente ser extrapolada, visto que há corantes em diversos alimentos. Numa festinha por exemplo, ingerimos bolo, bebida, sorvete, gelatina, doces e balas. Já se foi a ingestão recomendada… É só torcer para não aparecer uma intolerância alimentar, pois se acontecer, foi o corante.
Fica uma pergunta: Por que determinados corantes foram banidos de alguns países e ainda estão liberados no Brasil?
Para maiores informações consulte um alergologista.



Fonte: Almanaque do Adolescente e Bom dia Brasil

2 comentários:

Shilola disse...

Ai gata...
Medo!
Vc andava sumida mesmo lá do Shhh heim?!?! :D
E tá tudo bem?
Bjocas,
Carol

Cybele Belschansky disse...

É um caso sério, Carol! E a gente nem aí...
Com o passar do tempo, vamos adoecendo.
Obrigada pela postagem.

Postar um comentário

O que você achou?